Blog

Estudar para duas carreiras: vantagem?

TACIANA CARVALHO
Redação Ad Verum


Tenho certeza que esse é um dilema pelo qual você passa ou já passou!

Afinal, é um mundo de carreiras.

Mas descobrir para qual carreira estudar nem sempre é uma questão de afinidade: a maioria dos concurseiros tenta ter um leque mais abrangente para aumentar a probabilidade de aprovação.

E isso é uma técnica válida? Vejamos.

A grande questão no estudo para diferentes concursos é o risco de, no final das contas, você não conseguir ser muito bom em nenhum deles. Se já é extremamente difícil fechar um edital, imagine 2!

Imagem retirada de Na Prática


Mas é impossível? Não, não é. Só é preciso avaliar com muito cuidado a estratégia adotada, de forma que você não se prejudique.

Mas fique atento. A variedade de concursos é graaaande e o risco de perder completamente o foco é alto.

Afinal, não adianta se inscrever para qualquer prova. Você terá sempre resultados medianos e evoluir vai parecer quase impossível.




Então como é possível estudar para mais de um concurso? Existe alguma estratégia aqui?

Existe sim. Vejamos o que pode ser feito:

Verificar o universo de matérias


Se for estudar para mais de 1 edital, evite concursos muito específicos. TRT, TRE e Assembleia Legislativa, por exemplo, trazem matérias bem específicas que não são cobradas em outros concursos. Carreiras policiais também trazem assuntos bem específicos, inclusive de um cargo para outro. Um concurso para agente, um para escrivão e outro para perito vão ter vários pontos de divergência, mesmo sendo para o mesmo universo.

Deixe as matérias mais específicas para o final! Legislações estudais e institucionais, por exemplo, devem ser estudadas perto da publicação do edital, de modo que você possa investir durante mais tempo em matéria comuns a mais de um concurso.

Verificar a compatibilidade de cargos

Ao escolher os editais, é importante atentar para as peculiaridades de cada cargo.

Algumas vezes pode ser interessante estudar para analista do MP/SP e para Promotor no MP/SP, por exemplo, pois os editais são muito parecidos.

Porém, a maioria dos concursos de analista e técnico trazem matérias alheias ao mundo do Direito, como informática e raciocínio lógico. Elas não podem ser negligenciadas no estudo para Analista, e elas não podem tomar tempo na intensa preparação para Promotor, então conciliar aqui não seria uma boa opção.

Ter um edital principal

Mesmo que você queira conciliar, é importante definir qual será o edital principal! Você irá utilizá-lo como base, e o segundo edital será "encaixado" no seu cronograma. Ter essa base vai te dar mais segurança no trajeto!

Analisar o panorama de publicação de edital

Sempre esteja atento e atualizado com relação ao panorama de concursos para o cargo que você almeja!

Tome cuidado para não correr o risco de estudar anos para um edital que não tem nenhuma indicação de publicação futura. No nosso cenário atual, Magistratura Trabalhista pode ser citado como exemplo.

Ao mesmo tempo, você tem que começar a estudar com antecedência. Então não estude apenas para concursos cujo edital já está publicado ou prestes a ser publicado. Como sempre dizemos: publicação de edital indica a hora de começar a revisar, e não de começar a estudar!

Essas são as nossas principais dicas! É bastante coisa, certo? No final das contas, para estudar para concurso é necessário estudar os concursos! E isso é ser concurseiro.

Não se preocupe, estamos junto com você nessa!

Esperamos ter ajudado!
Quer saber mais? Deixe aqui seus dados e entramos em contato com você
Voltar para Blog
Whatsapp Clique para entrar em contato
Whatsapp Clique para entrar em contato