Blog

CONCURSO TJ/DFT (Servidores) (26/12/2019): Um novo edital pode ser lançado em breve!!

CONCURSO TJ/DFT

Postagem: 26.12.2019

Responsável: Comunicação Ad Verum


ATENÇÃO, CONCURSEIROS!!

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios, pode lançar um novo edital em breve, pois atualmente o Tribunal está com 423 cargos vagos, nas funções de Técnico e Analista Judiciário, com remunerações iniciais de até R$ 12.455,30!!

QUADRO DE VAGAS

De acordo com a portal transparência, o Tribunal está com 423 cargos vagos nas funções distribuídas abaixo:

Requisitos para o cargo:

Analista Judiciário – Área administrativa: diploma de qualquer curso superior (exigindo-se licenciatura plena, quando se tratar de habilitação para o Magistério), registrado no MEC e expedido por instituição oficial ou legalmente reconhecida.

Analista Judiciário – apoio especializado especialidade contabilidade: Diploma de nível superior em Ciências Contábeis, registrado no MEC, expedido por instituição oficial ou legalmente reconhecida;
registro no Conselho Regional da categoria.

Analista Judiciário – apoio especializado especialidade medicina e psiquiatria: diploma de Bacharel em Medicina e certificado(s) de especialização na(s) área(s), registrado no MEC e expedido por instituição oficial ou legalmente reconhecida; registro no Conselho Regional da categoria.

Analista Judiciário – apoio especializado especialidade arquitetura: diploma de nível superior em Arquitetura, registrado no MEC, expedido por instituição oficial ou legalmente reconhecida; registro no Conselho Regional da categoria.

Analista Judiciário – apoio especializado especialidade serviço social: diploma de nível superior em Serviço Social, registrado no MEC, expedido por instituição oficial ou legalmente reconhecida; registro no Conselho Regional da categoria.

Analista Judiciário – apoio especializado especialidade psicologia: diploma de nível superior em Psicologia, registrado no MEC, expedido por instituição oficial ou legalmente reconhecida; registro no Conselho Regional da categoria.

Analista Judiciário – apoio especializado especialidade arquivologia: Diploma de nível superior em Arquivologia, registrado no MEC, expedido por instituição oficial ou legalmente reconhecida; registro no Conselho Regional da categoria.

Analista Judiciário – apoio especializado especialidade engenharia elétrica: diploma de nível superior em Engenharia Elétrica, registrado no MEC, expedido por instituição oficial ou legalmente reconhecida; registro no Conselho Regional da categoria;

Analista Judiciário – apoio especializado especialidade pedagogia: diploma de nível superior em Pedagogia, registrado no MEC, expedido por instituição oficial ou legalmente reconhecida.

Analista Judiciário – apoio especializado especialidade taquigrafia: diploma de nível superior em qualquer curso superior, devidamente registrado no MEC e expedido por instituição oficial ou legalmente reconhecida (exigindo-se licenciatura plena, quando se tratar de habilitação para o Magistério) e formação especializada em taquigrafia.

Analista Judiciário – apoio especializado especialidade análise de sistemas: diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior na área de Informática ou em qualquer outro curso de graduação, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo MEC e curso de especialização com, no mínimo, 360 horas/aula na área da Ciência da Computação.

Analista Judiciário – apoio especializado especialidade odontologia: diploma de nível superior em Odontologia, registrado o MEC e expedido por instituição oficial ou legalmente reconhecida; registro no Conselho Regional da categoria.

Analista Judiciário – apoio especializado especialidade controle interno: diploma de qualquer curso superior (exigindo-se licenciatura plena, quando se tratar de habilitação para o Magistério), registrado no MEC e expedido por instituição oficial ou legalmente reconhecida.

Analista Judiciário – Área judiciária: diploma de nível superior em Direito, registrado no MEC, expedido por instituição oficial ou legalmente reconhecida.

Analista Judiciário – Área judiciária – oficial de justiça avaliador federal: diploma de nível superior em Direito, registrado no MEC, expedido por instituição oficial ou legalmente reconhecida.

Técnico Judiciário – Área administrativa: certificado, devidamente registrado, de conclusão de ensino médio ou equivalente expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC), devidamente registrado na Secretaria de Educação.

Técnico Judiciário – Área segurança: certificado, devidamente registrado, de conclusão de ensino médio ou equivalente expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC), devidamente registrado na Secretaria de Educação; carteira Nacional de Habilitação “B” ou superior.

Técnico Judiciário – Área enfermagem: certificado de conclusão de 2º grau e curso profissionalizante de Auxiliar de Enfermagem (Decreto n. 5.154 de 23.07.2004), expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC), devidamente registrado na Secretaria de Educação; registro no Conselho Regional da categoria.

Técnico Judiciário – Área taquigrafia: certificado, devidamente registrado, de conclusão de ensino médio ou equivalente expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC), devidamente registrado na Secretaria de Educação e formação especializada em taquigrafia.

Técnico Judiciário – Apoio especializado programação de sistemas: certificado, devidamente registrado, de conclusão de curso de ensino médio (2º grau) expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC), ou curso técnico equivalente, acrescido de cursos de programação de sistemas, totalizando, no mínimo, 180 horas/aula.

ETAPAS DO ÚLTIMO CONCURSO

Os candidatos foram submetidos às provas Objetivas e Provas de Discursivas, da seguinte forma:

  • Prova Objetiva: A prova objetiva contou com 50 questões de conhecimentos básicos e 70 de conhecimentos específicos:

  • Prova discursiva: A prova discursiva valeu 40,00 pontos e consistiu na redação de texto dissertativo, de até 30 linhas, a respeito de temas relacionados a conhecimentos específicos de cada cargo/área/especialidade/ramo.

RESUMO DO CONCURSO

  • Concurso: TJ/DFT
  • Banca organizadora: A definir
  • Cargo: Técnico e Analista Judiciário
  • Vagas: 423 (previstas)
  • Remuneração: Até R$ 12.455,30
  • Período de Inscrição: A definir
  • Taxa de Inscrição: A definir
  • Data da Prova: A definir
  • Link do Último Edital

Whatsapp Ad Verum

Quer saber mais? Deixe aqui seus dados e entramos em contato com você
Voltar para Blog
Whatsapp Clique para entrar em contato